quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O que significam aqueles "estalos" no meu pescoço quando viro a cabeça?

Quem nunca ouviu um Tlááác no pescoço? Ou na coluna? Ou no tornozelo?

Pois é. Aquele estalido que eventualmente ocorre e que preocupa muita gente na verdade é um processo fisiológico da articulação ocasionado pela formação de CO2 (gás carbônico) dentro da articulação.
Ao contrário do que muitos pensam, não ocorre uma "batida de dois ossos". Ocorre o contrário. O afastamento das faces articulares promove aumento do espaço da articulação, e faz o líquido, que em parte é H2CO3 (ácido carbônico), se dissociar em H20 (água) e gás (CO2), o que ocasiona o ruído (Tláác).
Este estalo é utilizado na Osteopatia (manipulação) para melhorar e aumentar a mobilidade articular de forma terapêutica, controlada e SEGURA.

Simples! Não é problema. Não deve causar problemas.

MAS QUANDO ESTE ESTALIDO PODE SER PROBLEMA?
Em duas ocasiões:
1 - quando não acontece na articulação, e sim nos tendões, e são resultado de um sobressalto destes sobre uma proeminência óssea, o que podem causar desgaste e inflamação do tendão (tendinite)
2 - se estalamos demais uma articulação, todos os dias, como o pescoço, a coluna lombar, os joelhos ou tornozelos, com o tempo ocorre um aumento da mobilidade, que acelera desgaste causando artrose precoce.

Sendo assim, Não se estale DE JEITO NENHUM! Deixe este trabalho para os OSTEOPATAS!
Havendo dor, procure um! Mas se acontecer de um estalo ocorrer e não doer, fique tranquilo. Relaxe, e continue sua atividade.

Dr Mauro Gemelli, C. O.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Dor na mandíbula, dor pra mastigar, estalos ao abrir a boca, bruxismo: Conheça as disfunções temporo-mandibulares!

Atendo muitas pessoas no consultório com dor de cabeça, dor no pescoço, e que possuem ao mesmo tempo sensações de dor orofacial, fizeram ou fazem tratamento ortodôntico, têm insonia ou dificuldade para dormir, bruxismo, etc. Tudo pode estar relacionado as disfunções (de abertura e fechamento, controle muscular) da articulação termoro-mandibular

A Disfunção temporo-mandibular (DTM) é um distúrbio que acomete a articulação temporo-mandibular e pode gerar sintomas como dor de cabeça, enxaqueca, zumbido no ouvido, tontura, dor ao abrir a boca, , restrição da abertura da boca, etc.
A má oclusão causada por traumas, tensão muscular, assimetria da face, e maus hábitos podem causar estas DTMs, que são tratáveis através da Osteopatia, que aliviam sintomas, e previnem evolução para problemas mais sérios.
O bruxismo é caracterizado pela atividade muscular da mastigação acordado ou mesmo dormindo, gerando um ranger dos dentes, as vezes com desgaste dos dentes pelo atrito. Ela está relacionada tanto à má oclusão, quanto a postura ou ao emocional (ansiedade por exemplo). Na osteopatia estumulamos o alinhamento através de técnicas manuais sobre as articulações, suturas cranianas, fascias e músculos que inerferem na ATM.
Os bloqueios de movimento são na verdade outro sintoma desta má oclusão, que ocorrem por descoordenação muscular e alterações meniscais. O treino muscular muitas vezes é capaz de melhorar este sinal.
E, a dor?
Ela é o sintoma pelo qual as pessoas procuram tratamento, pode estar presente  na região temporal, occipital (nuca), enxaqueca, dor no fundo do olho, etc.
O reequilíbrio proporcionado pela osteopatia leva a melhora de todo o quadro inclusive ao aliviando dos sintomas.
Associado a Osteopatia, é importante um tratamento postural para reequilibrar a msuculatura inclusive da mastigação, deglutição e fonação que estão relacionadas a ATM.

Cicatriz não é apenas um problema estético. Pode estar relacionada com dores de cabeça, na coluna e mal fuincionamento de órgãos.

Dentro da filosofia osteopática, estudamos as Hipomobilidades, que são regiões com diminuição do movimento normal. Trocando em outras palavras, a FUNÇÃO está diminuída, ou seja, uma disfunção está acontecendo.
O problema é que cesariana hoje é a escolha de 80% dos médicos obstetras. A cirurgia gera cicatrizes sobre a pele abdominal, aponeuroses musculares, peritônio, E ÚTERO e estruturas vizinhas.
Mas toda cicatriz gera hipobilidades e disfunções, que podem gerar desde dores locais, dificuldades de funcionamento ou fluxo intestinal, da bexiga, a dores menstruais, dor pélvica crônica, dor lombar, ciática, até dores posturais cervicais e de cabeça (enxaqueca - por tracionar o corpo inferiormente).
É NECESSÁRIO TRATAR AS CICATRIZES após cirurgias, sejam quais forem ou seus motivos. SEMPRE vão gerar disfunções.
Então, se você sente muitas dores lombares, dores abdominais sem explicação ou diagnóstico, dores de cabeça, e fez cirurgias abdominais, analise bem, você pode estar diante de uma sobrecarga mecânica causada pela fibrose ou aderência causada pela cicatriz.
Procure um Osteopata para tratar e equilibrar essa situação para evitar que evolua para doenças degenerativas.

domingo, 1 de agosto de 2010

Saiba o que significa um bebê ter a cabeça/crânio assimétrico (plagiocefalia)

Em 1992 a Academia Americada de Pediatria publicou um Guia de Boas Práticas para reduzir o índice de Morte Súbita Infantil. Como consequência, a permanência dos bebês em posição deitada de barriga pra cima (pois foi proibido deitá-las de barriga para baixo) aumentou em 400% o índice de assimetria de bebês.
A assimetria do crânio do bebê (recém-nascido) é mais comumente chamada de PLAGIOCEFALIA, quando ela fica com formato obliquo, acomete cerca de 12% dos bebês aos 4 meses de idade, e não é somente um problema estético, pois pode afetar o olho, nariz e a postura da criança.

MAS POR QUE ELA ACONTECE?
A plagiocefalia pode ser originada ainda na vida intra-uterina, no parto ou até mesmo após o nascimento.

Durante a gravidez, por causa da posição na barriga da mãe, o feto pode ficar com a cabeça apoiada sobre um osso na pelve na mãe e isso pode achatar a cabecinha do bebê. Ainda, um feto grande.
durante o parto podem ocorrer compressões na cabeça do bebê que causam sobreposições dos ossinhos, que são flexiveis (mesmo num parto tranquilo). O mau uso de instrumentos como o fórceps podem causar essas sobreposições e depois do nascimento inicia-se o desenvolvimento de assimetrias.
Nas primeiras semanas de vida, a permanência sempre na mesma posição (cabecinha apoiada sempre do mesmo lado) sobretudo de costas, pode desencadear ou agravar o achatamento da cabeça do bebê, e gerar a plagiocefalia.
Torcicolos são os maiores responsáveis por gerar uma posição predominantemente apoiada de um lado, que poderá culminar num achatamento da cabeça e aparecimento da plagiocefalia. Os torcicolos são MUITO MAIS frequentes em cesáreas do que em parto normal.

Mas ela pode causar algum problema no bebê?

São muitas consequências. No bebê pode ser causa de cólicas, regurgitação e vômitos inexplicados.
O grande problema está na mudança da anatomia de forames, buracos por onde passam alguns nervos no crânio. Estes nervos irritados, pode gerar tensão muscular no pescoço (torcicolos), comandos errados pro estômago (azia) ou pra músculos chamados de esfíncter entre o esôfago e o estômago (refluxo) ou intestino (cólica ou não ganho de peso).

Mais tarde as consequências podem ser graves: alteração da articulação temporo-mandibular e alteração da mordida, estrabismo, alterações da postura (escoliose), deficits de atenção e de memória com perturbação da rentabilidade escolar, irritação no sono, para não falar na alteração estética.
Estes sintomas ocorrem por pressões exercidas sobre zonas chave do cérebro, ou nervos na saída dos mesmo do cranio.

Essa assimetria da cabeça tem tratamento?

TEM!
Uma observação atenta por um Osteopata com formação específica é o primeiro passo. A correção, nas primeiras semanas de vida, é muito bem sucedida e passa por intervenção manual destes profissionais, associada a cuidados de posicionamento ensinados para os pais.

A Osteopatia trabalha a mobilidade entre os ossos, retira tensões da região cervical (torcicolos), estimula o remodelamento ósseo, tudo para estimular o crescimento organizado dos ossos do crânio do bebê.

Ainda, alguns casos mais graves podem usar orteses para induzir essa melhora.


EVITANDO EM CASA

Para evitar o aparecimento ou evitar o aumento, alguns cuidados devem ser levados em consideração, como não colocar travesseiros para a criança, cuidar para que ela não durma SEMPRE na mesma posição da cabeça (rodada para a esquerda, por exemplo). Não deixar a criança no bebê conforto se ele fica muito sentado ou torto. Evitar deixar móbiles acima da cabeça do bebê: eles sempre tem que ficar acima do abdome ou das pernas.

Bem, pra finalizar, o resultado! Essa imagem mostra a evolução (ANTES DEPOIS) do tratamento de um bebê com técnicas da Osteopatia.

Shantala, Leite com baixa lactose, e outras dicas...

Mamães. Coisas que podem ajudar nos sintomas do refluxo dos bebês:

A SHANTALA, uma massagem Indiana, é ótima para estimular o desenvolvimento motor da criança, melhorar integração mãe/pai com bebê, relaxa, acalma, melhora sensibilidade (cócegas) e ajuda em diversos "incômodos" como cólicas e irritabilidade. BAIXE O LIVRO AQUI: LIVRO SHANTALA

LEITE COM BAIXA LACTOSE
Segue lista de marcas que estão comercializando leite (de vaca) com baixo teor de lactose ótimo para quem tem intolerância ou refluxo (consulte o pediatra antes de dar para seu bebê).

Zymil (Parmalat) – leite semidesnatado com 90% menos lactose

Elegê – Baixo Teor de Lactose (Eleva) – leite integral com 90% menos lactose
Sensy (Batavo) – leite semi desnatado com 90% menos lactose
Betania Lactose Reduzida (Betania) – leite semi desnatado com 90% menos lactose
La Sereníssima (La Sereníssima) – leite em pó integral com 70% menos lactose

Quanto a MAMADEIRA ANTI-REFLUXO
Procurem os modelos Dr. Brown's (standard)
Chicco (fisiológica angular)
Ambas prometem reduzir ingestão de ar e reduzir sintomas de cólicas e refluxo.

Dúvidas, osteopatia@eggo.com.br

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Hérnia de disco: um problema com solução. Comentário da matéria do Jornal Hoje

No dia 17 de julho o Jornal Hoje da Rede Globo mostrou uma matéria sobre tratamento de hérnia de disco sem cirurgia. De fato, hoje, a indicação para este tipo de procedimento é para menos de 5% dos diagnósticos de hérnia.

A matéria mostrou o tratamento utilizado em Fortaleza-Ce pelo fisioterapeuta  Helder Montenegro, que consiste em tratamento com tração lombar, terapia manual e fortalecimento.

Este protocolo é utilizado no tratamento de hérnias lombares na Osteopatia com excelentes resultados, como evidenciado na clínica e visto no exemplo abaixo num exame de ressonância magnética (RM) de um paciente de 33 anos de idade. O exame mostra a esquerda RM de 2009 e a direita 1 ano depois, em 2010, indicando a diminuição expressiva da hérnia com o Tratamento da Osteopatia e tração realizada na clínica.

Entenda a foto: Em verde, exame da coluna em 16/04/2009. Dentro do círculo verde uma massa (arredondada) escura saindo entre as vértebras (quadrados). A direita, exame realizado em 08/03/2010 após tratamento com Osteopatia. Dentro do círculo vermelho a massa escura (hérnia) reduziu significativamente. Paciente já não tinha mais dor após 3 sessões. Fonte: o autor

A melhora dos sintomas costuma ser rápida, mas a manutenção do bem estar e o sucesso do tratamento está atrelado a exercícios específicos orientados pelo Osteopata para fortalecer a coluna e favorecer a cicatrização da lesão.

Se você tem hérnia de disco, procure um Osteopata. Este tipo de lesão é progressiva, ou seja, tende a piorar se não tratada, e mais pra frente originar outros desgastes na coluna.

Mas se você tem dor lombar ou conhece alguém que tenha, CUIDADO, 76% das pessoas que tem hérnia de disco, relatam que tinham dor lombar lombar antes da hérnia.

O QUE FAZER? Procure um profissional Osteopata para tratar a dor e prevenir desgastes.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Queimação e Ardência nas costas: o que são, o que significam e como tratar estes sintomas?

A queimação quando acontece nas costas ou entre os ombros, especialmente quando matemos uma postura por muito tempo, pode significar duas coisas:

1. uma fadiga muscular, com acúmulo de "ácido lático" no músculo, que, por ser ácido, "arde", dando a sensação da queimação.

2. uma dor originada nos ligamentos que pelo mesmo processo de acúmulo de toxinas, causando a sensação de ardência, muito comum na região entre as escápulas (homoplata ou paleta) e na região lombar, próximo aos glúteos.

Ok! Temos idéia do que é, mas entendamos por que acontecem estes sintomas de queimação e ardência.
Quando usamos demais ou de forma errada ou numa postura errada nossa musculatura, ou quando temos uma dificuldade por parte do músculo em movimentar articulações (quando estas apresentarem bloqueios de movimento), então teremos um excesso de atividade muscular e automaticamente uma dificuldade de entrada do sangue (que retira as toxinas (sujeiras)) o que vai gerar acúmulo de ácido lático. Ácido faz arder.

E COMO TRATAR A ARDÊNCIA E A QUEIMAÇÃO?

A Osteopatia (através do Osteopata) faz isso! A manipulação de articulações libera o movimento que consequentemente diminui o trabalho do músculo e retira o estresse sobre os ligamentos, melhorando a circulação, a retirada da "sujeira" dos mesmos, eliminando os sintomas.

E POR QUE MEDICAMENTOS NÃO MELHORAM OS SINTOMAS?

Porque existe uma dificuldade do sangue circular nestes músculos tensos, dificultando portanto a chegada do anti-inflamatório nessas regiões, o que iria aliviar a inflamação. Ainda, uma explicação seria porque a CAUSA da dor é mecânica, e não química (pra curar o processo com remédios). Portanto o tratamento tem que ser mecânico.

Quer saber mais, pergunte: (41) 3312 9000  ou osteopatia@eggo.com.br

quinta-feira, 1 de julho de 2010

A Osteopatia é o que? Estralar? É reconhecida no Brasil?

Atraves da resolução 220 de maio de 2001, o CREFITO - Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional - reconhece a Osteopatia como especialidade da fisioterapia.

A formação completa em osteopatia envolve a osteopatia estrutural, visceral e crânio-sacral e o Conselho Federal de Fisioterapia exige carga horária mínima para um curso de formação (1.500h/a, sendo 500h de Prática Osteopática Supervisionadao).

Portanto, só estralar, não é Osteopatia. É preciso ter uma base muito boa, horas de estudo e prática, muita prática para fazer "os estralos" surtirem o efeito necessário, não só para impressionar!

sábado, 26 de junho de 2010

REVISTA VEJA QUESTIONA: Qual é o melhor tratamento para dores nas costas? Eu respondo: Vários + Osteopatia!

Em matéria publicada na Revista Veja de junho foi abordado um assunto relativamente batido (pois consta nos arquivos online da mesma revista outras dezenas de artigos semelhantes) mas que necessita de constante debate: a dor nas costas!

Logicamente "dor" não pode ser tida como "normal". Normal, é não sentir dor! Contudo, as estatísticas nos dizem quase o contrário, onde o próprio artigo levanta que 80% da população já experimentou ou vai experimentar dor nas costas.

A matéria explica de forma sucinta sobre a dor, e traz indicações de tratamentos para dores nas costas, sendo enfatizado já no início do texto a necessidade do DIAGNÓSTICO ou da DESCOBERTA DA REAL CAUSA DA DOR, que é o princípio da Osteopatia.

Realmente, sem o diagnóstico, tratar é dar tiros no escuro. Senti falta da "Osteopatia" na matéria, apesar dela ter dado um bom direcionamento ao assunto.

Sugiro então, pra quem procura tratamentos para este tipo de dor, o tratamento com OSTEOPATIA. Ela vem para complementar os métodos citados na matéria da veja (Pilates, Rolfing, atividades físicas, e Acupuntura) não se repetindo, e tendo resultados muito eficazes para tratar dores crônicas. Nada de milagres, apenas um raciocínio diferente e muito interessante.

sábado, 12 de junho de 2010

Criança que tosse muito, chora antes ou após mamar e que fica roca? Atenção, seu bebê pode apresentar Refluxo Oculto.

O refluxo na criança tem como sintoma mais conhecido o vômito. Contudo, muitas crianças têm refluxo e não apresentam tal sintoma.

Então, primeiramente, quais sintomas (presentes e ausentes) podem indicar que o refluxo chamado OCULTO está acontecendo?

--- tosse frequente
--- ronquidão frequente
--- pneumonias recorrentes
--- sintomas de asma e bronquite
--- apnéias
--- laringites laringites
--- soluços
--- podem estar ausentes: vômitos, ânsia, hiperextensão (criança joga-se para tras)

Estes sintomas são muito importantes, especialmente quando analisamos os dados em adultos, onde 80% dos casos de asma em adultos também apresenta diagnóstico de refluxo gastro-esofágico. Será que o refluxo pode causar asma? É um pensamento lógico, ainda não comprovado, mas que pode sim estar relacionado ao refluxo que acontece lá na infância.

Mas então, como acontecem os sintomas atípicos do relfuxo?

Estudos têm demonstrados que, a menor quantidade de conteúdo ácido no esôfago, é capaz de causar uma reação nos brônquios (no pulmão) gerando sintomas de asma, por exemplo. Ou ainda, este conteúdo pode chagar do esôfago na traquéia e invadir o pulmão, causando tosse, podendo evoluir pra inflamações brônquicas (bronquítes) ou penumonias (quando associa-se a infecções).

Portanto, mães e pais, fiquem atentos: esses sintomas podem indicar que o refluxo está acontecendo com seu bebê.

Novamente, a Osteopatia tem na sua filosofia o tratamento da CAUSA destes sintomas, que não é o relfuxo em si, mas sim, QUEM ESTA CAUSANDO O REFLUXO. Como já descrito em outros artigos, a causa pode ser uma Hérnias de Hiatos, hipotonia da válvula do esôfago (Esfíncter Esofágico Inferiro), irritação do nervo Vago que inerva o estômago, intolerâncias alimentares, etc, todas tratadas pela Osteopatia.

Para saber mais sobre como o refluxo pode ser causado, leia os artigos em: Osteopatia na Infância, clicando AQUI! Dúvidas, entre em contato por telefone (41) 8868 3848 ou 3312 9000 (Clínica Eggo em Curitiba, Batel).

Referências Bibliográficas
Richard Ricachenevski GurskiI; André Ricardo Pereira da RosaII; Enio do ValleIII; Marcelo Antonio de BorbaIV; André Alves Valiati, Manifestações extra-esofágicas da doença do refluxo gastroesofágico* J. bras. pneumol. v.32 n.2 São Paulo mar./abr. 2006

Andersen LI, Schmidt A, Bundgaard A. Pulmonary function and acid application in the esophagus. Chest. 1986;90(3):358-63

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Matéria do Jornal Hoje na Rede Globo fala sobre dor nas costas.

O Jornal Hoje da rede Globo abordou (em 17/05) o tema "Dor Nas Costas: quando deve-se dar atenção a ela?" onde foi apresentado um estudo de pesquisadores da USP que desenvolveram "medicamentos inteligentes", que nada mais são do que potentes antiinflamatórios aplicados diretamente na coluna para combater dores crônicas (dores que perduram por mais de 3 meses). A eficiência deste tratamento chegou a 90%.

A necessidade destes tipos de tratamento surge quando estudos revelam que após os 40 anos de idade, a dor nas costas está mais presente pelo envelhecimento natural do corpo.

MAS os pesquisadores afirmam também que estes mecicamentos não são indicados para todos os casos de dor, pois podem mascarar problemas e, com o tempo, perdem sua eficácia.

A matéria conclui de uma forma bem clara: a Prevenção e Cuidados com a Postura são mais importantes para evitar ter dor, ou prevenir o seu reaparecimento.

O que fazer se você tem dor nas costas ou dor crônica?
Conheça Osteopatia, faça Pilates, RPG, alongue-se!

Leia a matéria completa. Clique aqui!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Você alguma vez foi se alongar e sentiu que um lado alonga mais do que o outro? Isso é um problema de postura?

Recebo muitas pessoas no consultório de Osteopatia, em Curitiba, me questionando: Minha postura é correta? Minha postura é ruim e por isso me causa dor? Por que sinto alongar mais o lado direito do que o esquerdo? Como melhorar minha postura? Qual técnica devo seguir?

Bom, é um começo ter consciência de que não estamos com a melhor postura (ou que não estamos com uma postura ideal). Mas postura é uma organização do corpo no espaço que tende a estar equilibrada. Contudo algumas pessoas tem visivelmente grandes alterações e muitos têm sintomas (dor). E agora? Como tratar a dor e a postura?

Precisamos separar parcialmente esses dois aspectos: Dor x Alteração Postural (lordose, cifose, escoliose).
A dor pode e está em muitos casos relacionada a postura. Entretanto a postura normalmente aumenta a dor mas não a causa.
A CAUSA da dor geralmente está associada a outros desequilíbrios músculo-articulares (como bloqueios de movimento). Estes, precisam ser trabalhados (corrigidos, alongados, fortalecidos) para permitir a melhor mobilidade articular e, depois de liberada a função articular, ser focada a Reeducação Postural.
Um exemplo dessa necessidade de "equilibrar" o movimento antes de reeducar é compreendido quando vamos alongar as pernas, e a perna direita alonga mais do que a esquerda. Por que isso acontece?
Essa sensação é resultado das atividades assimétricas que temos no nosso dia a dia, e que causam desequilíbrios musculares e bloqueios de movimentos. Os resultados são sensações de alongamentos diferentes entre membros, e SOBRECARGA para os membros mais gidos que, com o tempo, podem gerar tendinites e desgastes articulares (artrose).

Portanto, primeiro Reequilibrar para depois Reeducar! onde a palavra da vez é PREVENIR!

terça-feira, 4 de maio de 2010

Cuidado ao procurar um "Estalopata"! Matéria do "O Globo" alerta sobre perigos.

A Osteopatia e a Quiropraxia são dois métodos terapêuticos manuais, especialidades da fisioterapia, que tratam dores em geral. Com resultados muito satisfatórios e rápidos, sua procura têm aumentado nos últimos anos criando-se uma preocupação no que diz respeito a QUEM SÃO OS PROFISSIONAIS que estão praticando estas técnicas.

O site O Globo publicou em 01/05/2010 um alerta sobre a escolha do profissional Quiropraxista, já que profissionais oportunistas que fazem cursos de final de semana expões muitas pessoas a consequências as vezes graves.

Para se ter uma idéia, o Curso de Formação em Osteopatia pela Escuela de Osteopatia de Madrid tem duração de 5 anos, mais o sexto ano de módulos avançados.

É ser inconsequente procurar um profissional sem o mínimo de formação.

Apesar do importante alerta, sou obrigado a discordar da comentada NECESSIDADE da indicação do médico para realização deste tipo de tratamento. A competência do diagnóstico fisioterapêutico e eleição do método fisioterapêutico mais adequado de tratamento é do FISIOTERAPEUTA.

A solução não é o Ato Médico, e sim, fiscalização por parte dos órgãos regulamentadores.

Fonte: O Globo | LEIA A MATÉRIA COMPLETA: oglobo.com/Uso da Quiropraxia Requer Cuidados

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Investir em Ergonomia "dá dinheiro"! Confira estudo que comprova isso!

Você já ouviu falar em Ergonomia, com certeza. Creio que você tenha pelo menos um noção do que é Ergonomia. Mas, você usa as "Leis do Trabalho" no seu dia a dia?

Como Ergonomia já é sinônimo de"gastar", muitas empresas (empresários) não enxergam o benefício de "investir em ergonomia". Mas isso tende a mudar, já que isso realmente pode se tornar um processo lucrativo para as empresas.

Confira na tabela abaixo a Análise de custo/benefício e Retorno do Investimento (ROI) de algumas empresas que investiram em Ergonomia nos EUA em 2007, e os resultados obtidos.

ENTENDA A TABELA:  O número indicado ao lado do nome da empresa significa o retorno (em dólares) para cada dólar investido em ergonomia.                                                  EXEMPLO: a Pepsi teve um retorno de $3,00 para cada $1,00 investido em ergonomia. Considere ai o aumento da produtividade, redução de índices de LER (lesões por esforços repetitivos), redução de faltas no trabalho, etc
fonte: Sefit.com.br

Resumindo, para cada dólar investido em Ergonomia, ganha-se $4,00 em produtividade.

Quer ser mais competitivo? Compre "aquela cadeira" e "aquele Headphone"!!  :D

sexta-feira, 30 de abril de 2010

É verdade que a corrida pode desgastar os joelhos, quadris e tornozelos?

Pois é! Faz parte da filosofia budista "meditar muito, se mexer pouco", pra evitar produção de toxinas e se conservar sempre jovem e saudável. Será que eles estão certos, e fazer exercícios como corrida pode ser prejudicial e acelerar desgastes de articulações e músculos?

Jaiminho estava certo? Vamos evitar a fadiga?

Um dos mais imporantes estudos no assunto realizado no Centro de Stanford Arthritis os E.U. com corredores  que corriam em média 48km kilômetros por semana, há mais ou menos 12 anos (em média) demonstrou que:
 -    corredores não apresentam taxas mais elevadas de artrite, em comparação com uma média de indivíduos na população em geral.
 -   corredores tiveram um menor risco real de deficiência em seus sistemas musculo-esqueléticos.
 -   dores musculares e articulações foram cinco vezes menor do que em não-corredores.

 -   homens corredores têm em média 40% menos dores que não corredores,
 -   mulheres corredoras têm em média 89% menos dores que não corredoras,

Além disso,
 -   corredores fizeram menos visitas ao médico, ficaram 33% menos de tempo em hospitais,
 -   perderam menos da metade do números de dias de trabalho comparado a média geral
 -   e, como esperado, obtiveram menores pressões arterial e freqüência cardíaca de repouso, em comparação com os não-corredores.

NA PRÁTICA:

 -   uma média de 23km por semana é suficiente para acumular estes benefícios.
 -   esportes de impacto realmente podem favorecer desgaste articular acelerado (ex. basquete, levantamento de peso, e exercícios estenuantes como ginástica olímpica)
 -   esportes aeróbicos (corridas, bicicleta) parecem previnir desgaste articular.
 -   procure usar calçados específicos de corrida, com um bom sistema de amortecimento.
 -   cuidado: o sobrepeso é prejudicial as articulações. Neste caso, prefira exercícios dentro da água, que reduzem o impacto sobre os membros inferiores


CURIOSIDADE
Um corredor dá em média 1.050 passos em 1km de corrida.

fonte:
The American Journal of Medicine, vol. 82, pp. 772- 780, 1987; 'Running and the Development of Disability with Age, ' Annals of Internal Medicine, vol. 121, pp. 502-509, 1994

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Calor ou gelo? Quando devo usar um, quando devo usar o outro? Qual alivia mais a dor?

Bom, vamos por parte. Primeira: QUAL A MELHOR HORA PARA USAR O CALOR?

O calor relaxa e alivia dores. Mas não em todos os casos.
O calor estimula a circulação sanguínea e por isso pode ser usado para relaxar músculos e diminuir dores musculares. Faz isso, pois acelera a retirada da "sujeira" (pop. ácido lático que gera a dor).
Este acúmulo pode ser resultado da má postura no trabalho, excesso de uso do músculo (braço) ou em maus jeitos, por exemplo.

CUIDADO: quando sofrer um trauma no músculo (contusão) o calor pode aumentar o inchaço e a dor. NESTE CASO, USE GELO.


QUANDO USAR O GELO (FRIO) ?
O gelo controla a inflamação, impede que o inchaço exagerado, automaticamente diminui a dor.


Então é indicado usar gelo sempre que ocorrer uma entorse (punho, tornozelo) ou uma pancada muscular (contusão), por exemplo?
CORRETO. E continuar usando nos primeiros dias após o ocorrido.

E em tendinites e bursites o que se deve usar?
Calor: Alivia, mas não tanto quanto o gelo. Em crises de dor, não usar calor.
Gelo: dores em tendões e articulações respondem melhor ao uso do frio, portanto, prefira-o para esse tipo de dor. E procure um profissional se não melhorar (fisioterapeuta ou Osteopata).



POR QUANTO TEMPO DEVO DEIXAR O GELO?
GELO: em torno de 20 minutos, em intervalos de 2 horas, 5x ao dia.
CALOR: em torno de 30 minutos, também com intervalos de 2 horas.


O frio não é bom para aliviar dores nos músculos?
É ótimo, assim como o calor, mas é menos confortável.

Em Hérnias de disco, posso usar calor e frio?
GELO!!!!!!!!!!!!!! Em crises de dor por hérnia, USAR GELO na coluna lombar pode tirar o paciente da crise. Espalhe essa idéia.

Dor no ombro?
USE GELO nas articulações, como em tendinites e bursites.

POMADAS que esfriam e depois esquentam são boas? Funcionam?
Aliviam a dor, mas possuem pouquíssimas propriedades reais antiinflamatórias, pois não conseguem penetração importante na pele.


Dúvidas? Envie sua questão ou comente por e-mail: osteopatia@eggo.com.br

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Qual é o melhor jeito de dormir? Por que tenho dor para dormir?

Bem, pra começar, se for pra dar uma sugestão, a melhor seria: durma tranquilo!
Não, não é uma piada. Ansiedade e preocupações fazem com que a gente não "desligue" e não relaxe. Assim, não recuperamos nossas energias, não descansamos, e acordamos às vezes cansados, às vezes com dor.

Quanto a "ter dores para dormir", podem existir multiplos fatores. Mas quando você está dormindo, não está contraindo músculos, e a posição não tende a te causar problemas. Mas se você já os tiver, dependendo da posição que você dorme, pode desencadear ou aumentar dores.

Contudo, dicas simples podem te ajudar.
Nunca durma com os braços pra cima. Isto pode causar diminuição da vascularização dos braços, e induzir tendinites e bursites.

QUANDO DORMIR DE BARRIGA PARA CIMA...
 - Use um coxim embaixo dos joelhos, e procure usar travesseiros baixos. Se você costuma acordar com dor no pescoço, talvez seu travesseiro seja alto demais, ou você já tem algum problema. Dor lombar também pode sugerir desequilírios musculo-articulares.
-  Sugestão: procure um Ortopedista, Fisioterapeuta ou Osteopata, pois provavelmente você tem disfunções ou alteração postural (cabeça mais anterior que o ideal, por exemplo).

QUANDO DORMIR DE LADO
 -  Use tavesseiros médios (ou dobre seu travesseiro se for fino), e um coxim entre os joelhos (imagem acima). Esta postura alivia deixam o corpo relaxado.

QUANDO DORMIR DE BARRIGA PRA BAIXO (DV)
-  Muitos autores recomendam não dormir nessa posição. Contudo, não existem estudos que tragam dados que contra-indiquem esta posição. O que existe é a dedução lógica, onde Deçubito Ventral obriga uma posição de rotação da cervical mantida, o que PODE gerar encurtamentos, desvios posturais e dor. Mas não é uma regra. Além disso, dormir de barriga pra baixo pode forçar a lombar caso já haja aumento desta curvatura.
-  Solução? usar um travesseiro embaixo do tronco pra que você fique numa posição intermediária entre barriga para baixo e de lado, minimizando o estresse sobre a cervical e lombar.

Mas saiba que posição para dormir é mais um hábito. E mudar um hábito é difícil.Esses hábitos podem causar desvios posturais?
É pouco provável pois essas alterações estão mais relacionadas a ação da gravidade, e atividade de contração muscular numa determinada posição. Se você tiver o hábito de dormir de barriga para baixo, não tente ser radical, pois poderá ter problemas pra descansar.
Se tem dor ao dormir, procure um Ortopedista, Fisioterapeuta ou Osteopata.

Imagem legal, mensagem legal. Consciência Moral.

Um momento de reflexão. Um momento fora do nosso umbigo e do comodismo. (IMAGEM)
O velhinho alemão já dizia "Duas coisas são infinitas: o universo e a burrice humana. Mas a respeito do universo ainda tenho dúvidas", (Albert Einstein).   hehe. Quando eu li a primeira frase, pensei na mesma coisa que Einstein disse para a segunda!  :D

Enfim, e o ursinho, coitado...






"stop using regular light bulbs and well stop running ads like this"
"pare de usar lâmpadas incandecentes, e páre de publicar anúncios como este"

domingo, 11 de abril de 2010

DOR CRÔNICA AFETA 80% DA POPULAÇÃO

Matéria abordada pelo site O GLOBO afirma que 80% da população têm, teve ou vai ter dor Crônica (clique aqui).
Significa dizer que, se você está agora numa sala com 5 pessoas, 4 delas podem já ter tido experiências ruins com dor crînoca.
A Dor Crônica é resultado de uma dor aguda não tratada.

Para evitar seu aparecimento, atividade física deve estar presente no seu dia a dia, associada a alongamentos e bons hábitos posturais.

Logicamente tratar uma dor de muitos meses ou anos, é mais difícil do que dores agudas. As Terapias Manuais têm resultados muito bons para a maior parte dos casos.

Portanto, fique esperto. Não espere sua dor se tornar um problema realmente grande. Procure ajuda de um profissional capacitado.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Cientistas afirmam que as palavras podem causar dor.

LONDRES, 7 de abril

Cientistas de Londres afirmam que uma pessoa pode causar dor tanto batendo em alguém quanto "xingando-a". Como isso é possível?

Estes cientistas descobriram que ler/ouvir palavras associadas a experiências agonizantes (que te lembram dor) desencadeia uma reação na parte do cérebro que lida com a dor.

Embora não haja uma resposta imediata física a este estímulo, os cientistas suspeitam que ouvir tais palavras antes de experimentar a dor poderia fazer a sensação PIORAR, como o cérebro está preparado para esperar.

Portanto, quando alguem te falar "relaxa que dói menos", saibam que eles estão falando a verdade.  :D

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Para quem é indicada a Osteopatia? Gestantes? Idosos? Bebês? Quem tem dor?

Uma pergunta/dúvida muito frequente no consultório, é sobre QUEM PODE FAZER OSTEOPATIA?
"Minha mãe que tem osteoporose, meu sobrinho que tem refluxo mas só tem 3 meses de vida pode fazer? Funciona para ele?"

Basicamente, qualquer pessoa pode ser paciente da Osteopatia. O princípio é tratar o que não está funcionando muito bem, o que não está "se movendo muito bem".
tratamento sem cirurgia dor costas osteopatia quiropraxia mckenzie lombar

O ser humano possui músculos, e move-se através deles. O movimento acontece não somente do corpo em si, mas também dentro do mesmo. Exemplo é o coração, que é um músculo que bombeia sangue para ocorpo. O Estômago que é um músculo que movimenta o alimento para outros orgãos. E assim acontece com a maior parte dos órgãos humanos.
Mas, se qualquer uma dessas "peças" parar de funcionar (coração por exemplo) o corpo inteiro sofre as consequências, e adoece.

tratamento sem cirurgia dor costas osteopatia quiropraxia mckenzie lombarNão tão grave, mas seguindo o mesmo raciocínio, se uma articulação ou músculo da coluna por algum motivo não funciona bem, haverá consequências que podem ser sentidas em forma de dor, por exemplo.
ninguém está livre de ter esses "problemas de movimento", nem bebês, nem crianças, nem adultos, nem idosos.
A osteopatia é um vasto conjunto de técnicas, em sua maioria suaves, que podem ser aplicadas pelo fisioterapeuta em QUALQUER PACIENTE.
Mas para isso, é importante que você procure um profissional capacitado para executar essas técnicas.
Assim, é seguro pra você, eficiente para seu tratamento.



Gestantes podem ser pacientes de Osteopatia?
Sim, sem problema algum. Existem períodos onde algumas técnicas são evitadas, mas não existem evidências de que sejam ruins para a gestação. Dores nas costas (lombar, dorsal, cervical) são tratáveis na gestação. Além disso, é necessário preparar o corpo da futura mamãe para o ganho de peso da gestação.
LEIA: Gestantes


Idosos podem fazer Osteopatia? Mesmo que tenham artrose e osteoporose?
Podem sim ser pacientes e possuem uma indicação grande. Os processos degenerativos são acelerados quando algum grupo de articulações e músculos apresentam diminuição do movimento. É preciso devolver a mobilidade normal para a coluna, quadril, etc, para que as dores diminuam e o desgaste se estabilize.

O que a Osteopatia pode fazer pelos bebês?
São inúmeras as indicações para fazer Osteopatia na infância. Trocicolos congênitos, refluxo gastro-esofágico, assimetrias do crânio, esocliose, irritabilidade, cólicas, sono agitado, etc...
LEIA: Osteopatia para Bebês;   Tratamento do Relfuxo com Osteopatia na infância

Enfim, osteopatia é sinônimo de prevenção para qualquer idade.

DOR: Como e em quais casos a Osteopatia pode atuar?

Em Construção

LEIA:
TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO COM OSTEOPATIA

TRATAMENTO DE DOR DE CABEÇA E ENXAQUECA COM OSTEOPATIA

Gestante fazendo exercício e Osteopatia ? Pode? Não tem perigo?

Já ouvi diversas vezes essas perguntas. E sabe como eu responde sempre? Gestação não é doença!!!!!

Isso significa que gestante PODE SIM FAZER EXERCÍCIOS físicos, se alongar, caminhar, fazer pilates, RPG, hidroterapia, hidroginástica, e, por que não, Osteopatia. Quantos casos ouvimos falar de mulheres atletas que descobriram que estavam grávidas depois de 6, 7 ou 8 meses de gestação?
MATÉRIA: Chilena descobre gravidez no treino e depois dá à luz

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, Exercício na gestação já é comprovado como benéfico no controle da pressão,

O que a Osteopatia pode fazer para a gestante?

A mudança do corpo, com o ganho de peso, aumento das curvaturas e alteração do centro de gravidade na futura mamãe, pode gerar dores nas costas, na região lombar, nas pernas, pescoço, etc. A dor pode aparecer, e de forma intensa.

Estudos recentes indicam que 70% das mulheres gestantes têm algum tipo de dor lombar e que 20% destas mulheres ficam sob licença médica por esta razão por um período aproximado de sete semanas durante a gravidez.

Este equilíbrio precisa ser trabalhado para o bem estar da gestante.
A Osteopatia reequilíbra os sistemas articulares, musculares e ligamentares, reduzindo estresse nos mesmos, relaxando, e eliminando as dores. Assaciada a treino muscular, propicia uma ótima qualidade de vida gestacional para a futura mãe.

Lembre-se, gestação não é doença, gestante não pode se considerar doente, a não ser que exista uma patologia associada. Portanto, movimentar-se é preciso.

Tratamentos da Osteopatia na Infância (recém nascidos, bebês e crianças )

Criança chorando, irritada, vomita bastante, não dorme direito, O QUE FAZER?

Existe, além de uma preocupação, uma dificuldade em identificar estes sintomas em recém nascidos e bebês já que não podem se comunicar e explicar de forma clara o que estão sentindo. Contudo com o avanço da medicina, muitos sintomas estão sendo mapeados, e hoje já é possível entender melhor o que eles significam para poder tratar suas causas.

A Osteopatia chegou com uma abordagem muito particular que aborda a questão Funcional das diversas estruturas do corpo, e por isso consegue identificar e tratar sintomas que antes eram para muitos profissionais, uma incógnita ou sinônimo de medicamentos e cirurgia.

A abordagem é específica e visa trabalhar a mobilidade do corpo do bebê. Onde existir dificuldade de movimento, pode haver uma disfunção (alteração da função de um órgão) e com isso, problemas.

O bebê cresce no útero pouco elástico e pode por isso apresentar perda de mobilidade articular, como postura em vírgula, dificuldade de rotação do pescoço para um dos lados, crânio assimétrico, etc.

Partos difíceis e longos, uso de fórceps ou ventosa, parto cesarea, uso de ocitocina, pressão exercídas sobre o abdome da mãe no parto etc, são fatores que podem gerar fortes pressões sobre o corpo e cabeça do bebê. Essas forças podem gerar tensões que geram sintomas como: atraso no desenvolvimento motor, refluxo, vômitos, constipação, choro constante, irritabilidade, obstrução do canal lacrimal, otites frequentes, assimetrias no crânio etc.

Embora a capacidade de adaptação dos bebês seja muito grande, assim como sua mobilidade, essas forças podem gerar problemas, e precisam ser tratadas.

A Osteopatia tem indicações em diversos casos, como por exemplo:

  • Torcicolo congênito
  • Escoliose congênita.
  • Plagiocefalia (que são assimetrias da cabeça do bebê por algum contato com alguma arte óssea da mãe, ainda na vida intrauterina, em que podem ocorrer achatamentos e abaulamentos do crânio do bebê) 
  • Cólicas e disfunções do sistema gastrointestinal.
  • Insônia ou sono agitado.
  • Irritabilidade
  • Refluxo / vômitos frequentes
  • Hérnia de hiato
Leia também: Tratamento do Refluxo e Hérnia de Hiato no recém nascido, bebê e crianças)

quarta-feira, 31 de março de 2010

Enxaqueca e dor de cabeça tem cura com Osteopatia?

SIM, podem ter!

Mas será que a sua dor é Enxaqueca? Você precisa considerar duas coisas: Primeiro, o que é enxaqueca? e depois o que pode simular uma crise de enxaqueca?

São características da Enxaqueca:

1 - dor há pelo menos dois anos, com crises com intervalo de no máximo 3 meses;
2 - apresenta sintomas de áurea ( pontos luminosos meia hora antes da crise);
3 - fotofobia (irritação e maior dor na presença de muita luz) e ao barulho;
4 - dores caracteristicamente unilaterais, e geralmente sem associação a outros fatores.

Acontece que muitas pessoas acham que têm enxaqueca e na verdade apresentam DOR DE CABEÇA apenas. Muitas pessoas têm dores de cabeça tensionais, mas frequentemente.

Uma dor de cabeça pode ser causada por irradiação de dor de músculos do pescoço. Essa irradiação é a mesma que o coração faz para o braço esquerdo quando está tendo um infarto, que serve pra avisar que algum problema está acontecendo.

São problemas que podem gerar dor de cabeça frequentemente:
Tensões musuclares subnucais, diminuições de movimento de articulações cervicais, distúrbios da ATM (articulações temporo-mandibulares), distúrbios genito-urinários (útero) e pelve e até mesmo disfunções de fígado, por exemplo. Essas disfunções musculo-articulares podem gerar dores irradiadas, tensões sobre circuação cerebral, e gerar crises de dor frenquetes (enxaqueca).

enxaqueca osteopatia dor de cabeça quiropraxia tratamentoMuitos músculos no nosso corpo fazem essa irradiação de dor quando estão sobre sofrimento (deficiência na circulação, assim como com o coração). Essa dor, na cabeça, pode ser irradiada para o fundo dos olhos e região supraorbital, topo da cabeça, nuca e têmporas, por exemplo.

Tratamento medicamentoso: na sua maioria visam melhorar a circulação intra-craniana. Outros bloqueiam transmissão de impulsos dolorosos (o que pode gerar efeitos colaterais, como sono).


A Osteopatia é o tratamento que considera todos os fatores mecânicos da dor de cabeça. Trata-os (CAUSA) e elimina-se a consequência, que é a dor de cabeça. Cessam-se as crises, necessidade de uso de medicações e as consequências de uso crônico de medicamentos.

Tratamento para hérnia de disco sem cirurgia?

Sim! É possível tratar hérnia de disco, sem precisar operar.

COMO?

tratamento sem cirurgia hérnia de disco osteopatia quiropraxia mckenzie lombarPrimeiro, entenda o que é e como a hérnia de disco pode se formar.
A hérnia de disco é a "saída do disco" que fica entre as vértebras.
Existe basicamente duas causas: um trauma ou a degeneração por estresse.

A primeira é resultado de uma queda sentado no esporte ou numa escada, por exemplo. É um caso agudo, geralmente com sintomas muito intensos.

tratamento sem cirurgia hérnia de disco osteopatia quiropraxia mckenzie lombar
A segunda, é resultado de microlesões decorrentes de pequenos traumas ou posturas "erradas" associadas a de movimentos repetitivos que estressam muito o disco intervertebral. A longo prazo, o disco se desidrata, e "adoece", onde pode ocorrer o deslocamento de parte do disco. Se este deslocamento ocorrer para trás (em direção da medula e nervos) pode comprimir um nervo e causar a dor ciática (dor que desce para a perna).
tratamento sem cirurgia hérnia de disco osteopatia quiropraxia mckenzie lombarNeste momento pode se desencadear uma crise de dor ciática, resultado principalmente da inflamação que ocorre no local.
As crises podem ir e vir, dependendo da inflamação que aparece por causa dos mals hábitos e a falta de uma intervenção.
Este processo tende a ser progressivo, ou seja, piorar com o tempo se não tratato.

TRATAMENTOS

Medicamentoso: necessário, porém, não trata a CAUSA, e sim, o sintoma causado pela inflamação.
Algumas pessoas melhoram somente com medicação.
tratamento sem cirurgia hérnia de disco osteopatia quiropraxia mckenzie lombar
Fisioterapia: exercícios convencionais costuma ser eficientes em boa parte das pessoas, mas não necessariamente tratam A CAUSA, que pode estar relacionada a um bloqueio de movimento pélvico, ou de algumas vértebras lombares. Com isso, a degeneração pode progredir.

OSTEOPATIA: trata todos as influências mecânicas que aumentam o estresse sobre os segmentos que tiveram uma degeneração (pelve, quadris, membros inferiores, lombares altas, região dorsal, músculos...).
As articulações se bloqueiam por traumas, por mal uso, em posturas erradas e em movimentos de trabalho repetitivo sobre a coluna, como sentar errado durante anos, ou levantar peso de forma incorreta.
O bloqueio de uma região, é compensado com o aumento do momovimento em uma região vizinha (hipermobilidade). Quando usada demais, estas regiões desgastam mais, e isso pode gerar uma (ou mais) hérnias.

tratamento sem cirurgia hérnia de disco osteopatia quiropraxia mckenzie lombarPortanto, o tratamento da hérnia necessariamente tem que tratar articulações e músculos que GERAM a sobrecarga ou pioram a sobrecarga sobre o nível vertebral. Assim, pode-se tratar a hérnia com ténicas de tração lombar e McKenzie para reduzir ou succionar a hérnia discal, não deixando o desgaste progredir.

tratamento sem cirurgia hérnia de disco osteopatia quiropraxia mckenzie lombarResultados como os da imagem são conseguidos com a associação de Osteopatia, Tração lombar e McKenzie:



Conheça este tratamento.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Tratamento para relfuxo em adultos (complemento O Globo Online)

Complento da matéria:

Será que o incômodo de seu filho é refluxo? - O Globo Online

O tratamento para adultos para hérnia de hiato que gera refluxo gastroesofágico segue o mesmo princípio do tratamento em bebês, contudo a abordagem é diferente.
A hérnia de hiato configura-se como um desalinhamento do Esfíncter Esofágico Inferior (EEI), em relação ao diafragma.
No tratamento, foca-se no realinhamento destas estruturas, no relaxamento de comandos nervosos sobre o diafragma, estômago, esôfago e demais estruturas vizinhas. Estas ações promovem uma normalização das tensões que trazem devolta a função normal, sem o refluxo do alimento.

No adulto estes processos são geralmente crônicos, e necessitam de manipulações mais específicas, onde o resutlado pode ser mais lendo, contudo, com ótima evolução, assim como em bebês.

Conheça essa abordagem da Osteopatia.

Dr Mauro Gemelli

Clínica Eggo
Al. Dr Carlos de Carvalho, 2310 - Batel - Curitiba/Pr
Fone: (41) 3312 9000

Osteopatia para tratamento de dor

or Milene Kanda


A Osteopatia é um método fisioterapêutico de tratamento manual, que visa aliviar sontomas de dor, eliminando a causa e evitando que o quadro evolua para patologias.

tratamento osteopatia dor lombar cervical torcicolo dor de cabeça refluxo costasO pai da Osteopatia, o médico Andrew Taylor Still, introduziu o primeiro curso de especialização em osteopatia em 1922. A Escuela de Osteoatia de Madrid (EOM) trouxe pela primeira vez um curso para o Brasil em 1992.

O terapeuta baseia-se na anatomia, fisiologia e biomecânica articular, e utiliza as mãos para diagnosticar e tratar diminuições de mobilidade, bloqueios de movimento e tensões músculo-articulares.

Nem sempre o local da dor é o local da disfunção, já que o corpo apresenta inter-relações entre os sistemas, onde uma estrutura influencia outras.

As disfunções na osteopatia são diminuições de mobilidade das articulações, de causa postural, ocupacional, psicológica ou traumática (mau jeito). Nesses casos, o corpo utiliza um recurso de proteção lesional para diminuição da mobilidade e do estresse que deixa essas regiões em desvantagem mecânica, criando áreas secundárias de maior mobilidade, que são fatores causais de artrose, estresse ligamentar, tendinoso, capsular, discal, com alteração das informações destes tecidos, da sua fisiologia e fibrose.

A função da estrutura articular torna-se dificultada e, conseqüentemente, perpetua-se um ciclo vicioso de dor, tensão, inflamação, alteração tecidual, dor..., sendo este ciclo, que a osteopatia tenta eliminar, também de forma preventiva.
Por exemplo, uma disfunção de mobilidade num segmento da coluna cervical pode sobrecarregar o ombro e vice-versa, onde patologias inflamatórias irão se instalar (LER/DORT, bursites, tendinites). Ou ainda, uma mesma disfunção da mobilidade de um segmento da coluna pode gerar sobrecarga e excesso de movimento de outro segmento da coluna, levando com o tempo ao desgaste articular. Nesse momento aparecem as artroses (bico de papagaio) e hérnias de disco.

A Osteopatia pode agir de forma preventiva normalizando a mobilidade articular da coluna e do ombro antes que outras patologias crônicas se instalem, e de forma curativa diminuindo o estresse sobre regiões que já apresentam desgastes. “Em resumo, a osteopatia devolve a condição ao corpo da autocura, que é a condição de resolver por si só os processos inflamatórios que geram dor”.

A osteopatia utiliza-se de técnicas de mobilização, manipulação e técnicas funcionais específicas para cada tecido do corpo (articulação, ligamento, músculo, víscera ou crânio) que são aplicadas com o objetivo de inibir a tensão miofascial relaxando a musculatura, diminuindo compressões e normalizando o sistema nervoso e a vascularização local, devolvendo a função normal à estrutura afetada.

As sessões são individuais, com 45 minutos a 1 hora de duração, realizadas, em geral, uma ou duas vezes na semana, pois o corpo necessita se reeducar a retomada da mobilidade e as novas funções das estruturas que venham a ser trabalhadas. Os resultados com a osteopatia são geralmente muito mais rápidos do que com tratamentos convencionais.

Indicações
É difícil encontrar uma contra-indicação absoluta para a osteopatia. Apenas casos como fraturas ou câncer não é possível usar a osteopatia. Segundo Mauro, ela está indicada em inúmeros casos de LER e outras bursites e tendinites, dores cervicais, dores lombares, dores nas costas, cefaléias de tensão, enxaquecas, hérnias de disco, torcicolos, dores nos ombros (síndrome do impacto), pubalgias, sacroiliítes, e síndromes miofasciais. Ainda, num estudo mais aprofundado da osteopatia, é possível relacionar doenças como gastrites, alterações menstruais, problemas respiratórios entre outros, como resultado dessas diminuições de mobilidade dos tecidos anteriormente citadas, que sobrecarregam órgãos e víceras levando a instalação de patologias.

A Osteopatia em Curitiba

O Dr Mauro Gemelli, que possui formação em osteopatia pela Escuela de Osteopatia de Madrid Internacional (Espanha), considerada a escola de osteopatia mais conceituada do mundo. Você pode conhecer a Osteopatia na Clínica Eggo, localizada na Al. Dr. Carlos de Carvalho, 2310 no bairro Batel.

Telefone para contato é (41) 3312 9000 e celular (41) 8868 3848.