quarta-feira, 7 de setembro de 2016

7 pistas de que seu bebê pode estar tendo problemas com a amamentação.

ATENÇÃO papais e mamães. Sentindo dificuldade na amamentação? 


Cada dia pode ter uma surpresa para papais de primeira viagem.
Mas alguns sinais podem identificar a existência de algum problema com a amamentação. Veja aqui algumas pistas práticas para você identificar sealgo está errado com a amamentação do seu bebê:
  1. O seu bebê briga para abrir a boca o suficiente para mamar no peito?
  2. O seu bebê prefere alimentar-se em uma das mamas ou dorme com a cabeça sempre voltada para o mesmo lado?
  3. Seu bebê parece ficar com os ombros tensos, dificultando conseguir colocar o braço nas roupas?
  4. Seu bebê (e você) tem dificuldade em colocar a cabeça na posição correta para posicionar o mamilo na boca pra mamar?
  5. O seu bebê 'para-recomeça” a mamar ou parece se afogar com o fluxo de leite?
  6. O seu bebê perde a “vedação” da boca no peito durante a mamada: aparece “estalos” na boca durante amamentação? Nariz fica congestionado? Ou tem roncos ou ruidos na respiração? Parece que seu bebê está engolindo ar que provocam muito soluço ou grandes arrotos após mamar?
  7. Você está desconfortável durante ou após a alimentação, é pior de algum lado?

Estes são sinais de que algo pode estar atrapalhando a amamentação. Se vários destes pontos estão presentes, procure um Osteopata Pediátrico e orientação com uma Doula (www.doulacuritiba.com.br), em um Banco de Leite, uma Enfermeira especializada em amamentação, ou tente orientações de sites (http://migre.me/uVsZD ou http://migre.me/uVt17).

Dr Mauro Gemelli

Osteopata Pediátrico


Adaptado de Nancy Nunn, D.O.

terça-feira, 8 de março de 2016

Você qual é o melhor jeito de segurar um bebê sem machucar? Vem que a dica está aqui!

Mamães e papais de plantão, estão com dúvida de como é o jeito certo de segurar seu bebê?
A osteopatia ensina e explica pra vocês!

Vou ensinar vocês como e porque segurar do jeito certo pode influenciar o resto da vida dele.

Vamos direto a resposta pra quem somente quer aprender:

Siga o desenho abaixo. Uma mão vai ficar na cabeça, com o dedo maior na região do pescoço, os dedos indicador e polegar vão estar em contato com a cabeça (como uma pinça), e os dedos anelar e mínimo estarão localizados na região das costas. A outra mão pode segurar no quadril da criança pela parte de trás.
Tem que segurar assim SEMPRE, pelo menos até o quarto ou quinto mês de idade.

Agora, VAMOS A EXPLICAÇÃO? Acredito que seja a parte mais importante deste post.

Primeiramente vocês precisam saber que um bebê só terá controle do pescoço depois dos 4 meses de idade. Algumas crianças saudáveis podem desenvolver este controle somente aos 6 meses, mas vai depender da estimulação que elas receberem.

Por que é importante a criança ter este controle ou força na cervical?

Porque mãe, se você levantar uma criança recém nascida sem segurar a região cervical, um movimento que chamamos de "chicote cervical" poderá ocorrer. Quando ele ocorre pra trás, a cabeça da criança só vai frear o movimento do chicote  no final da mobilidade das articulações da cabeça dando um "tranco" na região da transição entre a cabeça e o pescoço do bebê. Assim, vai forçar ligamentos e pode estirar nervinhos que saem da base da cabeça da criança. São 3 nervos, que se irritados, podem causar problemas bem sérios como torcicolo, refluxo ou engasgos na criança. Se não tratados, estes problemas podem continuar e crescer com a criança, e quando adulto poderá ter gastrite (nervosa), enxaquecas, alergias, assimetria dos olhos e dentes necessitando usar óculos e aparelhos ortodônticos as vezes a vida toda. Eu falei que ainda ele pode ter bronquite, asma crônica rinites e sinusites pelo mesmo mitovo?  Sai caro!
(Leia AQUI como o chicote pode causar  Rinite e Asma)


Segurar o bebe pela mão pra sentar antes do quarto ou quinto mês pode ocasionar chicotes cervicais.

A criança está pronta pra ser sentada por este movimento somente quando ela flexionar o pescoço (como na imagem abaixo) imediatamente após você começar a puxar sua mão.
Só sente seu bebê pelos braços depois que ele aprender a levantar a cabeça assim.




E eu posso segurar assim ?
.Pode pai! Mas cuidado, sua mão logo não conseguirá mais sustentar isso. Prefira do primeiro jeito ensinado.





Então, a criança pode desenvolver vários problemas se você deixar este movimento acontecer na cabeça dele. PROTEJA SEMPRE a cabeça do bebê quando for dar banho, quando for levantar ele do berço ou colocá-lo lá. Independente de estar acordado, dormindo ou se ele estiver chorando. Não deixe seu bebe se jogar pra trás, sem querer ele pode fazer o movimento que não queremos, pra não termos uma criança chorando de azia, vomitando, ou dormindo com a cabeça sempre pro mesmo lado gerando assimetria da cabeça.

Certo?

Mas e se já aconteceu o Chicote, e a criança já está com refluxo, cólica, vomita muito, chora depois de mamar ou até mesmo durante, tem muito soluço depois do peito, faz careta ou dorme muito mal?
Ai a saída é consultar um Osteopata Pediátrico. Somente o Osteopata sabe avaliar e tratar essas disfunções. Somente um Osteopata Especialista em Pediatria é capaz de perceber estas disfunções cervicais e tratá-las, eliminando a causa destes problemas. Ai sim, seu bebê será TRATADO e seu corpo poderá encontrar a cura, os sintomas vão embora e ele poderá crescer ser vários problemas.

Gostou do que leu? Leia mais sobre estes assuntos no Blog.

E evitem o chicote! ;) pra seu bebê crescer forte e saudável


Dr Mauro Gemelli
Especialista em Osteopatia (COFFITO)
Formação Internacional em Osteopatia (Madrid)
Mestre em Osteopatia Pediátrica (UTFPR)
Coordenador da Escola de Osteopatia Internacional Inspirar
Doutorando em Tecnologia Assistiva (UTFPR)


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Feliz Natal!


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Por que é importante levar seu filho uma vez ao ano a um Osteopata?

Um recém nascido é um corpo imaturo! 
Muitos tecidos ainda não apresentam maturação e rigidez necessária para se sustentar em posições sem se deformar, e as posições precoces sentada e em pé podem gerar sobrecarga e deformações.
Da mesma forma, a cabeça do bebê é composta por ossos muito mais flexíveis e pouco encaixados comparados ao adulto, visto que o cérebro ainda tem que crescer muito e precisa de espaço (e não pode ter resistência para isso).

Abaixo (imagem) temos exemplos de uma cabeça normal, uma cabeça com Plagiocefalia (que é o achatamento de um lado da cabeça na parte de trás), uma cabeça com achatamento de toda parte de trás (braquicefalia) e uma cabeça de criança achatada lateralmente. Essas condições podem ser causadas pelo mau posicionamento ao dormir, ou até mesmo por tensões do parto ou por falta de cuidados com a manipulação do bebê em casa. 





Se o crânio do bebê, ou a coluna, ou o quadril, ou o pé tiverem alguma tensão (da própria posição intrauterina) é possível que o desenvolvimento seja afetado. Isto pode gerar desvios posturais importantes (veja no exemplo ao lado, a curva amarela) e a fase de maior facilidade de tratar é no primeiro mês de vida, quando as tensões ainda não afetaram as estruturas ósteo-articulares. 

E da mesma forma que uma árvore que cresce amarrada cresce torta, o corpo do bebe que tem algum tensão segurando seu crescimento pode crescer com "desvios". 


Tratar um bebê de 15 dias é mais fácil do que tratar um bebê de 10 meses, pois os tecidos são mais maleáveis, mais flexíveis.

Você sabia que em alguns países da Europa como França, Alemanha e Espanha o Osteopata está até na sala do parto interindo imediatamente ao nascimento para retirar tensões cranianas? E sabia que  é hábito levar o filho ao osteopata nos primeiros meses de vida?
Isso evita diversos transtornos do desenvolvimento. Pode evitar problemas como refluxo, escolioses, assimetrias de cabeça, desvio de septo, torcicolos, e vários outros.

Você não entendeu o que é uma tensão no crânio que gera assimetria da cabeça do bebê? Então veja as fotos abaixo:




O torcicolo (que apresentam as mesmas causas acima citadas) pode ser o responsável por algumas destas assimetrias, como mostra a imagem ao lado. Uma cabecinha que aparece sempre inclinada, ou um bebê que tem preferência de rotação da cabeça sempre para um mesmo lado, pode facilitar o aparecimento destes problemas.

Essas condições PRECISAM OBRIGATORIAMENTE ser tratadas com Osteopatia. 

Se alguma tensão permanecer, podem dificultar o desenvolvimento do crânio e podem crescer com o bebê e gerar alterações posturais tipo escolioses, desvio de septo, alteração da morfologia das órbitas com compressão de pequenos nervos cranianos e alterações funcionais do olho (e miopias, hipermetropias e astigmatismos), dos seios da face, respiração nasal, e até alterar a deglutição e fala da criança.

Cuidados com a coluna da criança, pode facilitar a mobilidade e função pra sentar, engatinhar e andar. Pode favorecer o equilíbrio e diminuir a chance de problemas posturais ocorrerem.

Cuidados com as perninhas podem prevenir pernas arqueadas ou pés muito altos ou planos. Quando a criança sente em "W", pode favorecer a retificação da tíbia causar valgo de joelho, mas andar precocemente pode gerar joelhos afastados ou o "varo de joelho". São condições a serem previnidas. 

Estes e muitos outros detalhes são avaliados e tratados pelo osteopata, e quanto mais cedo seu bebê foi atendido, menos problemas irão se manifestar.


Se seu filho já tem  1 ano ou 2, ou mais, não tem problema, ele tem muito a crescer, e sempre é válido uma avaliação. 


Procure um Osteopata como procura um Pediatra. É tão importante quanto!



Dr Mauro Gemelli

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Por que é importante levar seu bebê preventivamente a um Osteopata?


Em primeiro lugar, Osteopatia é segura para bebês! Cerritelli F et al. (2014) estudaram um modelo de abordagem chamado NE-O em 100 recém nascidos internados na UTI neonatal na Itália, onde foi demonstrado que a Osteopatia é SEGURA para os bebês.


Na Europa, é hábito levar os bebês logo após o nascimento a um Osteopata!


Por que? 

Todos sabememos que a cabeça do bebê é frágil. Ela possui  regiões onde existem apenas algumas membranas separando o cérebro do bebê do meio externo, são as chamadas de moleiras. Elas existem para permitir o Parto Normal e o crescimento do cérebro, e ficam quase imperceptíveis com 1 ano de idade,



Até lá, toda criança hora ou outra cai e bate a cabeça!


Ao bater a cabeça, se o trauma ocorrer na região lateral, pode gerar um tipo de disfunção chamado na Osteopatia de Lateral Strain de Esfenóide.



Trauma (seta),                     osso esfenóide,   osso occopital.



Esfenóide é esse osso da imagem ao lado, e nele é criada uma tensão de deslizamento lateral, conforme a imagem , para o lado contrário ao trauma.
  
Mas, existe um ligamento bem pequeno que une este osso ao osso temporal, chamado de petroclinóideo, esfenopetroso ou ligamento de Grubber. Mas, "no meio do caminho tinha um nervo"! Abaixo deste ligamento passo o nervo Motor Ocular Externo, que inerva o Músculo Reto Externo do olho, ou seja, o músculo que puxa nosso olho para olhar para o lado.

 Mas o nervo foi comprimido, e agora? A criança pode parecer estrábica ou ficar estrábica, porque essa compressão do nervo faz a informação que chega ao músculo OU deixa este muito fraco e o olho não consegue mais lateralizar, OU muito tenso, e o olho não consegue permanecer olhando para a ponta do nariz. Quando a criança tentar olhar aogo muito próximo ao seu olho, o olho que estiver afetado "escapa" num fenômeno chamdo de Hipoconvergência Ocular (olho com a flecha vermelha). Pode causar visão dupla, e isso na criança é grave.

Se não tratado, pode alterar o aprendizado da visão e causar problemas mais sérios na infância, adolescência e fase adulta. Problemas de coordenação, perda da noção de profundidade. Incapacidade de ver filmes 3D, e até perda da visão são adaptações possíveis.

Este é um dos motivos para levar as crianças ao Osteopata PREVENTIVAMENTE.
Você pode levar seu filho a partir dos 15 dias do nascimento. Mas não precisa pressa. Leve antes dos dois meses se não houver sintomas.


Osteopatia é segura para os bebês segundo Evidências Científicas, e pode prevenir muitos problemas posturais, respiratórios e gastrointestinais, quando estes traumas comprimem outros nervos, como o nervo Vago.

Continue lendo sobre:

Cerritelli F, Martelli M, Renzetti C, Pizzolorusso G, Cozzolino V, Barlafante G. Introducing an osteopathic approach into neonatology ward: the NE-O model.Chiropractic & Manual Therapies. 2014;22:18. doi:10.1186/2045-709X-22-18.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Osteopatia Baseada em Evidência: A melhora de bebês com Osteopatia não ocorre por efeito placebo!

     Um artigo publicado em 2014 na revista Complementary Therapies in Clinical Practice estudou a possível existência de efeito placebo no tratamento osteopático de bebês (placebo é como se denomina um fármaco ou procedimento sem efeito real, mas que apresenta efeitos terapêuticos psicológicos pela crença do paciente).
           Para isso 206 bebês de 7 a 9 meses de idade foram divididos em dois grupos: Grupo Osteopatia com 103 crianças que foram submetidos tratamento Osteopático e Grupo Placebo com 103 bebês submetidos às técnicas placebo. O estudo ocorreu em um Hospital na Italia.
          

       Os resultados encontrados neste estudo pioneiro levaram os autores à conclusão de que a melhora dos bebês com o tratamento osteopático não ocorre por efeito placebo! (Müler et all, 2014).


           Se um bebê melhora com uma sessão de Osteop
atia, é porque ela realmente funciona, e não é o toque, o calor da mão do terapeuta ou o fato de dar atenção que faz a diferença.

           O depoimento a seguir  (de abril de 2015) mostra o efeito que a osteopatia tem em casos de refluxo crônico em uma bebê de 1 ano de idade (completados no dia da sessão de osteopatia), em tratamento medicamentoso para este diagnóstico desde seus primeiros dias vida: 

"Estou muito feliz pois a B*** conseguiu comer papinha mais sólida na sexta feira logo após sairmos do seu consultório. Ela nunca tinha conseguido comer sólidos sem vomitar logo em seguida. Que progresso !Ela está super bem e comendo bem, só tenho a agradecer à você Dr Mauro."

           Essa melhora ocorre de forma homogênea entre bebês de 0 a 1 ano de idade, conforme foi demonstrado em estudo controlado que comparou o tratamento osteopático do refluxo ao tratamento exclusivamente medicamentoso em 59 bebês de 0 a 1 ano de idade. O grupo tratado com osteopatia (33 bebês) saiu do diagnóstico de refluxo num intervalo de um mês, enquando o grupo que usou apenas medicamentos (26 bebês) continuou com o diagnóstico após dois meses de estudo (GEMELLI et al, 2014).
           Sintomas como tosse, soluço, choro por azia e cólica melhoraram no grupo osteopático, enquanto a cólica piorou e a tosse continuou igual no grupo que só usou medicamento.

           Baseado nessas evidências cientificas, é possível concluir que a Osteopatia representa uma excelente ferramenta no tratamento do refluxo no bebê, a melhora não ocorre por efeito placebo e, por fim, que a medicação causa apenas alívio dos sintomas e não trata as causas reais do problema.


Muller et al 2014. Do placebo effects associated with sham osteopathic procedure occur in newborns? Results of a randomized controlled trial. - http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24731889 

Gemelli et al 2014. Resultados do desenvolvimento e aplicação de um protocolo osteopático de tratamento para bebês com refluxo. http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/1019






Dr Mauro Gemelli
Osteopata Pediátrico (Escuela de Osteopatia de Madrid Internacional)
Mestre em Engenharia Biomédica com ênfase em Refluxo Gastroesofágico de bebês (UTFPR)

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Criança que tosse e engasga mamando? Engasga quando fica deitada? Trate logo, com Osteopatia!


Muitas crianças desenvolvem "disfunções" da deglutição, ou seja, não engolem bem o leite e engasgam.
As disfunções podem ser perigosas, pois podem resultar em aspiração (entrada de leite no pulmão) o que pode causar pneumonias e até a temida morte súbita.


Mas por que estes engasgos acontecem em
Bebês?
Dois motivos principais:

1 - Por um "amolecimento" de uma região atrás da língua chamada de laringe (laringomalácea) que não possui uma causa definida, e que geralmente é associada ao chamado som estridor respiratório (roncos na respiração). Neste caso a solução pode ser apenas esperar o crescimento da criança e a melhora do quadro.


2 - Por uma disfunção de um nervo craniano chamado Glossofaríngeo que comanda os músculos (voluntários) da laringe que iniciam o processo de deglutição (passagem do alimento da boca para o estômago). Se o comando do nervo não for correto, o processo de deglutição pode ser insuficiente sobrando comida na laringe causando os engasgos e até aspirações (entrada no pulmão). Se este quadro associado a disfunção de outro nervo (o nervo vago), podem ocorrer episódios de refluxo gastroesofágico (RGE) que também podem favorecer a entrada de conteúdo do esôfago no canal do pulmão e causar engasgos no bebê.



No caso da disfunção dos nervos, o que ocorre é uma irritação destes na região da base da cabeça por causa de movimentos bruscos chamados "chicotes cervicais" e, o único meio de reequilibrar esta região e retirar o conflito mecânico é com a OSTEOPATIA.
A Osteopatia é uma especialidade do fisioterapeuta que utiliza técnicas muito suaves, específicas e precisas para restabelecer o equilíbrio local e que, em poucos dias, resolve o problema dos engasgos SEM MEDICAÇÃO, reduzindo as chances de uma complicação.



O que você pode fazer em casa se seu bebê engasgar? Siga as instruções da figura abaixo:


Sendo assim, mães e pais, fiquem atentos às crianças que tossem demais e engasgam demais. E procurem um Osteopata Pediátrico.

Dr Mauro Gemelli
Osteopata Pediátrico (Escuela de Osteopatia de Madrid Internacional)
Mestre em Engenharia Biomédica com ênfase em Refluxo Gastroesofágico de bebês (UTFPR)


sexta-feira, 16 de maio de 2014

Tá com Torcicolo? Tem torcicolo direto? Corre pro Osteopata!


       Acabe com os mitos e entenda o que significa essa bendita dor na cervical que não te deixa virar o pescoço, que provoca dor de cabeça, faz doer a região do trapézio, dos ombros e nem remédio resolve! O TORCICOLO!


       O torcicolo, (torci=torção, colo= pescoço) significa uma torção do pescoço. Igual torcer o tornozelo, só que no pescoço a coisa complica porque ali existem estruturas muito sensíveis que precisam ser PROTEGIDAS.


       
      A causa deste "mau jeito", pode ser um movimento ou esforço muito forte na cervical, como num acidente de carro quando ocorre um movimento de chicote com a cervical, ao levantar uma mala do chão ou abaixar pra escovar os dentes de manhã. Aliás, dormir no sofá numa posição ruim também pode fazer acumular "ácido lático" no músculo e fazer os músculos entrem em contratura (contração involuntária).


      Se o músculo fica contraído, você não consegue mexer o pescoço em alguns movimentos. E se tentar mexer, vai disparar dor nestes músculos. E ai que vem o segredo: você ouve dizer (ERRONEAMENTE) que você deve ALONGAR o pescoço! Não pode alongar o músculo irritado (espasmado)! Assim você vai disparar reflexos musculares (de proteção) que vão fazer este músculos se contraírem ainda mais forte quando você soltar o alongamento! E a dor vai piorar, e o machucado vai aumentar.

       Então, o que fazer?


       É preciso soltar dois pontos importantes. Primeiramente, se o teu torcicolo for "alto", seu problema maior é não conseguir rodar a cabeça nem um pouquinho! Isso porque a causa está nos músculos logo abaixo da nuca, e são eles que costumam irradiar dor pra cabeça, mais frequentemente pro fundo do seu olho! Ou então, o problema pode estar em uma  vértebra cervical mais baixa, que esteja "rodada" (por causa da contratura de músculos que puxam a vértebra em rotação), e que pode estar pinçando um nervo do pescoço. Assim, este nervo gera comando "errado" pra alguns músculos de proteção, eles se contraem e não soltam de jeito nenhum, nem com alongamento!

       Mentira, algumas vezes eles soltam sozinhos, outras vezes eles soltam com relaxante muscular, mas uma grande maioria NÃO SOLTAM se não for liberada a mobilidade da vértebra e o nervo.



       Tá, e como eu "solto a vértebra", doutor?

       Aí entra o papel do Osteopata. Ele é o profissional que vai saber encontrar este (as vezes) único ponto que precisa ser manipulado (cuidado com espertinhos que sabem virar teu pescoço pro lado e fazer traaackkkk, porque são necessários ANOS de estudo para saber não machucar uma pessoa com estas manobras). O Osteopata sabe que só depois de soltar a vértebra, estamos prontos para RELAXAR o músculo e só então, alongá-lo!

       Para aqueles que têm torcicolos recorrentes, fiquem ATENTOS, vocês podem desenvolver ARTROSE e hérnias de disco cervicais muito mais facilmente. Então, precisam tratar urgente isso, do verbo "corram para um Osteopata"! 


       Por que algumas pessoas melhoram sozinhas ou só com medicação?
      As vezes o torcicolo é só muscular. Então o relaxante da conta do recado. Quando o torcicolo inicia nas vértebras, quem será o grande fator de causa da contração muscular será o NERVO, e é preciso primeiramente tratá-lo, pra depois tratar o músculo. Assim, você vai precisar de um Osteopata pra isso!

       E a dor no ombro? Por que eu tenho?
      Dois grandes músculos são muitas vezes acometidos nos torcicolos, o Esternocleidomastoideo (ECOM) e o trapézio, que são comandados por um nervo (Acessório) que sai da base da cabeça, logo atrás dos músculos posteriores da nuca. Se você fizer uma contratura dos músculos subnucais, você irritará o nervo acessório, que causará espasmos do ECOM e/ou do trapézio, que acumularão ácido lático e por consequência, vão doer/"arder"!


       Pra aqueles que não tem torcicolo, procure fazer alongamentos igual a Marilyn Monroe ai abaixo. E não tente fazer do seu pescoço um helicóptero (girando ele), porque isso não é exatamente saudável!

Passe pra frente!

Dr Mauro Gemelli
Osteopatia Em Curitiba!

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Queimação e Ardência nas costas: o que são, o que significam e como tratar estes sintomas?


A queimação quando acontece nas costas ou entre os ombros, especialmente quando matemos uma postura por muito tempo, pode significar duas coisas:

1. uma fadiga muscular, com acúmulo de "ácido lático" no músculo, que, por ser ácido, "arde", dando a sensação da queimação.

2. uma dor originada nos ligamentos que pelo mesmo processo de acúmulo de toxinas, causando a sensação de ardência, muito comum na região entre as escápulas (homoplata ou paleta) e na região lombar, próximo aos glúteos.


Ok! Temos idéia do que é, mas entendamos por que acontecem estes sintomas de queimação e ardência.
Quando usamos demais ou de forma errada ou numa postura errada nossa musculatura, ou quando temos uma dificuldade por parte do músculo em movimentar articulações (quando estas apresentarem bloqueios de movimento), então teremos um excesso de atividade muscular e automaticamente uma dificuldade de entrada do sangue (que retira as toxinas (sujeiras)) o que vai gerar acúmulo de ácido lático. Ácido faz arder.

E COMO TRATAR A ARDÊNCIA E A QUEIMAÇÃO?

A Osteopatia (através do Osteopata) faz isso! A manipulação de articulações libera o movimento que consequentemente diminui o trabalho do músculo e retira o estresse sobre os ligamentos, melhorando a circulação, a retirada da "sujeira" dos mesmos, eliminando os sintomas.

E POR QUE MEDICAMENTOS NÃO MELHORAM OS SINTOMAS?

Porque existe uma dificuldade do sangue circular nestes músculos tensos, dificultando portanto a chegada do anti-inflamatório nessas regiões, o que iria aliviar a inflamação. Ainda, uma explicação seria porque a CAUSA da dor é mecânica, e não química (pra curar o processo com remédios). Portanto o tratamento tem que ser mecânico.

Quer saber mais, pergunte: (41) 3312 9000  ou osteopatia@eggo.com.br

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Rinite? Sinusite? Gastrite nervosa? Que tal "matar" o mal pela raiz?

"Estou bem!! Minha rinite só ataca na primavera, ou em dia seco, ou com poeira, ou fumaça, ou seja, quando respiro!"

" - Estômago só me dói quando to nervosa e ansiosa.
 -  E quando tá nervosa?
 -  Só de quando eu acordo até quando vou dormir, se eu conseguir dormir!"

Se identificou com alguma destas situações? ATENÇÃO, tá na hora de ir conversar com sua mãe (fará sentido no fim deste post)!
Todas as doenças citadas acima tem uma explicação muito lógica e uma história: laaaaaaaa na infância, ou melhor, no momento em que nascemos!

O NATURAL/NORMAL é nascer de parto normal, sendo expulso por contrações uterinas e com ajuda da gravidade! Mas a maioria dos partos (80% na rede particular no Brasil) são cesarianas. Dai, a criança é retirada com uma força exclusiva de tração na cabeça. (deve doer!). O PROBLEMA É QUE Essa força pode causar desarranjos músculo-articulares na base da cabeça do bebê! 

E dai que por ali passa um nervinho muito importante que comanda TODOS OS ÓRGÃOS Do tórax e  do abdome! Não sacou? Coração, pulmões, esôfago, estômago, intestinos, ec! Todos são influenciados por este nervo. E?

E dai que essa tensão no nervo Vago vai ser transmitida para o esôfago que não vai mais impedir que o alimento do estômago não retorne para ele (refluxo, azia, vômito), vai fazer com que o estômago secrete mais ácido do que seria preciso (mais ácido no estômago, mais azia, gastrite futura), e dai que ele pode causar cólica no bebê! Se o bebê tem cólica? Contrai o abdome. Se contrai? Aperta estômago. Se tem alimento no estômago? É espremido pra sair por onde? Pelo esôfago: refluxo!
E a minha rinite? Boa pergunta!

A rinite vêm de uma reação fantástica das vias aéreas que se inicia no pulmão! Se tem algo no esôfago (ácido) o pulmão entende: pode entrar aqui! Mas pode entrar ácido no pulmão? Jamais! Então ele se contrai: broncoeapasmo! Cronicamente vira? Asma! Ai, o corpo inteligente pensa: mas de onde vem essa substância estranha que pode entrar "aqui" e me machucar? Horas, qual o canal que leva ar pro pulmão? O NARIIIIZZZZ! Isso ai, pra proteger da entrada de "antígenos" no pulmão, o corpo inflama a mucosa nasal e Tcharaaaannnn: temos uma RINITE! que, se vier deeeeeessde a sua infância até adolescência será chamada de crônica e poderá entupir os "óstios" (furinhos que comunicam os seios da face que, fechados, desenvolvem a SINUSITE)!

Vu alá! Você tem rinite, sinusite e gastrite nervosa porque teve/TEM refluxo!
E o MAIS IMPORTANTE: Trate seu filho de 1, 2, 3 ou 10 meses de idade! É mais fácil, mais rápido, mais barato, dói menos, respira melhor, cresce melhor, tem mais fôlego, pode comer carne, tomar vinho, e até ir pra Curitiba que o nariz dele não vai ficar entupido (em Curitiba a rinite aparece mesmo em quem não tem).

Tente! Tenho certeza que vai ser o melhor investimento da vida dele!
E você? Pergunte pra sua mãe se você não chorava demais, vomitava demais, tossia demais antes de completar um ano de vida! O refluxo pode ser o causador da sua rinite!

COMO TRATAR/ PREVENIR?
Com Osteopatia! A Osteopatia trata as CAUSAS destes problemas e não as consequências (azia, vômitos,  inflamações das mucosas, tosse seca, rinites "alérgicas", etc).
Procure um Osteopata! Em Curituba ligue 3312 9000!
Dr Mauro Gemelli, C.O.