segunda-feira, 18 de junho de 2012

Escoliose na criança: como identificar, e como tratar.

Pais, mães, pediatras, cuidadores, tios e tias, padrinhos e madrinhas, já foi o tempo em que se olhava pra um problema nas crianças e , por falta de conhecimento, diagnosticávamos eles como causas IDIOPÁTICAS.
Não é porque eu não sei, que não existe uma causa. Não é porque eu AINDA não sei, que alguém JÁ não saiba.
Um problema MUITO IMPORTANTE hoje dentro da ortopedia pediátrica é o desvio na coluna (chamado ESCOLIOSE) que pode e DEVE ser encontrado o mais precocemente possível no bebê e encaminhado o quanto antes para tratamento.

A escoliose fica mais evidente na criança e no adolescente mas COMEÇA A SER FORMADA no bebê, quando por algum motivo a cabeça perde o MELHOR APOIO ou ALINHAMENTO com a coluna cervical. Esse apoio "errado" vai gerar compensações quando a criança ficar sentada e em pé. Essa compensação é chamada de escoliose.

QUEM PODE CAUSAR ESSE DESVIO NA COLUNA/do apoio da cabeça?

  • assimetria de cabeça do bebê (geradas no período intra-uterino ou após nascimento por um hábito da criança de ficar sempre com a cabeça rodada para um lado e apoiada sempre no mesmo ponto);
  • torcicolos congênitos: fazem as mesma coisa que assimetrias e maus hábitos;
  • deixar a criança dormir de barriga para cima (deixa um apoio constante do occipital, ossos da base do crânio do bebê, que pode causar alteração da formação deste que é o osso que apoia cabeça na coluna cervical);
  • colchão ou superfície onde a criança dorme MUITO DUROS: a cabeça do bebê é muito maleável e vai se adaptar se existir pressão na cabeça, e pode gerar as assimetrias;
  • pais e mães que seguram o bebê sempre na mesma posição;
  • crianças com menos de 5 meses que ficam muito tempo no bebê conforto;

Enfim, todos esses fatores geram tensões entre os ossos (suturas cranianas) e atrapalham seu crescimento. Quando a criança fica sentada ou em pé, é possível que a coluna se incline para manter o olhar na horizontal (mediado por um importante reflexo postural), o que gera uma POSIÇÃO ESCOLIÓTICA.
Se não forem tratados esses pontos (cabeça e pescoço do bebê), conforme a criança cresce, este desvio aumenta e se ESTRUTURA, ou seja, os músculos encurtam e os ossos se deformam, tornando por vezes o precesso IRREVERSÍVEL.

Portanto, TEMOS QUE TRATAR isso com a máxima urgência.

Mas, COMO IDENTIFICO NA CRIANÇA DE ELA TEM OU PODE DESENVOLVER ESCOLIOSE?
Avalie:

  1. a criança tem hábito de  ficar com a cabeça sempre para um mesmo lado? Leve ele para um Osteopata
  2. olhe a cabeça do bebê por cima. A testa do bebê tem alguma diferença entre lado direito e lado esquerdo?
  3. Se sim, ela tem assimetria do crânio.
  4. FAÇA O TESTE: coloque o bebê sentado e sem roupa. Vá atrás dele e observe se ele fica SEMPRE curvado para o mesmo lado. Se isso se repetir todas as vezes que você sentá-lo(teste em dias diferentes) ele pode ter escoliose. LEMBRANDO que, crianças com menos de 5 meses NEM CONSEGUEM ficar sentados sozinhos. Portanto ao fazer o teste com crianças de 3 ou 4 meses, pode ocorrer de você encontrar essa curva mas ela não determinar um problema postural. Mas mesmo assim vale uma consulta com o Osteopata do seu bebê.

Um comentário:

  1. tenho 5 filhos .e meu de 14 anos descobri a escliose dele quando ele tinha 11 anos , e uma ESCOLIOSE NEUROMUSCULAR , e foi operado agora no mes de fevereiro de 2014,foram duas cirurgias . e graças a DEUS , ele esta otimo. Mas descobrir que meu outro filho de 3anos e 10 meses , esta tbm com escolise , entao minha luta recomeçou. Mas com muita FE em DEUS vai dar tudo certo.

    ResponderExcluir